domingo, 16 de março de 2014

Opinião: Box Diário de um Banana (1 a 6)


Quando eu li o primeiro livro de Diário de um Banana eu estava na sexta série e fiquei completamente apaixonado. Era um diário de um garoto, com problemas de garoto e humor de garoto, deixando para trás todo aquele conceito que livro de diário tem que ser para menininha. Greg era um cara bacana com ideias legais e brincadeiras inocentes (ou quase). 5 anos depois, meu irmão também se apaixona pela mesma história e eu aproveitei para ler a coleção.
Se naquela época eu me identificava com Greg, hoje não é mais assim. Com o tempo percebemos que Greg não é aquele cara que bacana, inteligente, que "como você" é excluído por não ser digamos: fútil. Depois de ler todos os 6 primeiros livros, fica bastante claro que Greg é um banana mesmo, pouco legal e inteligente. Não consegue conservar suas amizades, usando (eles) ele como um boneco para conseguir a popularidade, o que ao meu ver não aproxima o leitor, ou ás vezes pela idade, corrompe.
Se o protagonista é (detestável) chato, posso dizer que todos os secundários se mostram engraçados, cheios de destaque, inteligentes e memoráveis. Rodrick se tornou meu personagem favorito por ser totalmente adolescente e irmão mais velho. É perfeita a forma como o personagem é retratado na adolescência, mostrando uma fase a qual quase todos passam.
Os pais do garoto servem completamente os desejos do filho mais novo, o que particularmente me irrita muito. Os personagens não são perfeitos, cada um tem os seus problemas os deixando cada vez mais humanos. Entre todos os, a mais bondosa e correta foi a mãe, que mesmo mimando o filho mais novo, sempre tenta conseguir o melhor para todos da família.
A coleção conseguiu ter um começo fabuloso, mas no terceiro livro as coisas desandaram, parece que o ritmo sumiu e não havia mais aquela pegada engraçada. É um mal que quase toda saga tem, um livro que simplesmente não agrada. Quando eu pensei que o ritmo havia morrido cheguei ao quinto volume e posso dizer que foi maravilhoso. É um livro que trouxe um personagem mais maduro, real, um livro que pode ser lido até pelos mais velhos. Se você for ler tem que pensar na sua filosofia, do contrário não tira o total proveito dele.
A série praticamente não possui continuidade, se aparece um personagem no final do terceiro livro, ele rapidamente some no quarto. Se Greg amadurece no quinto, volta a ser criança no sexto. Eu sei que é um diário com contos sem compromisso, mas a forma como as coisas que acontecem no livro anterior são rapidamente dissolvidas no próximo, deixando a tudo se muita ligação. Isso me faz pensar que A Verdade Nua e Crua devia ter sido lançado mais a frente, para que não ficássemos dando falta de sua maturidade no resto da série.
Os 4 primeiros livros foram adaptados em 3 filmes que mesmo não tendo muita fidelidade aos livros, em muitos momentos conseguiu corrigir ou dar uma outra visão a história. Isso acontece principalmente com terceiro filme que corrige todos os problemas do terceiro e quarto volumes. Se você leu os livros, ou pretende ler e ainda não viu os filmes, eu recomendo mesmo.
Em conclusão posso dizer que é uma saga boa, mas é inegável a minha decepção quanto ao Greg, ritmo e objetivos. É uma coleção bonita em termos físicos, principalmente quando se compra os livros em capa dura. A editora foi muito competente, mas como em qualquer livro, não podemos julga-lo pela capa e nunca esperar sermos agradados em toda a série.

Nenhum comentário:

Postar um comentário