quinta-feira, 6 de março de 2014

Resenha: Frankenstein - Entre Anjos e Demônios


Quando eu resolvi acompanhar meu irmão mais novo nesse filme eu tinha o objetivo de resenha-lo. Só que fiquei muito na dúvida se deveria mesmo fazer essa resenha (tanto que passou uma semana engavetada) porque sinceramente, que filme ruim. Então aqui não vai ter opiniões muito boas (eufemismo).
O filme começa com uma introdução rápida e digo até mesmo necessária, uma coisas que me fez pensar que esse filme seria bem frenético. Depois disso já tivemos a primeira cena de luta que foi boa de ver de começo e pronto, só isso e então somos apresentados aos anjos, que são na verdade gárgulas (ok). Quando ele é levado até o primeiro diálogo de explicação, já vemos que as coisas começam a desandar. O personagem é mal humorado, egoísta, um anti-herói, que rejeita seu criador e sua existência, enfim... Quando chega Leonore, a mulher gárgula/anjo ela consegue trazer uma das piores coisas de todo o filme. Como eu disse o Frankenstein é um personagem com características para o tornar um personagem durão, então esperamos que ele tenha um nome que acompanhe essas características. Como a gárgula líder é uma boa "pessoa" ela resolve colocar um nome na criatura. O nome escolhido foi Adam e o Adam aceita o nome com total tranquilidade. Nada contra ele escolher tal nome, até porque levar o nome de seu criador como todos fazem vai contra sua filosofia, mas aceitar um nome tão genérico, sem força e até sem criatividade como esse é de irritar.
Outra coisa irritante é que mesmo o filme fazendo a mistura de ciência e religião, nem um dos dois tem fundamento, base. São tratados de forma tão rasa que passa a sensação de preguiça. A religião é para colocar gárgulas e demônios na história e a ciência é só para ressuscitar. A cidade parecer morta, deserta, é como se tivessem feito o filme em Chernobil, quase não tem pessoas, ninguém vê, ouve e fala nada, que não aparecem nem mesmo quando um prédio inteiro é destruído.
Agora falando dos personagens, devo dizer apenas uma coisa: burros. Em pontos de explicação da história, nem mesmo a Leonore que tem uma conexão direta com os arcanjos e etc, conseguiu raciocinar uma coisa tão simple que deveria ser quase uma obrigação dela saber. Além disso, a cientista Terra que faria um certo par romântico com o Franken Adam acredita nas coisas tão facilmente que chega ser revoltante, ok ela viu as criaturas pessoalmente, mas ainda assim é esquisito. Ah, quanto ao envolvimento amoroso, eu tento de todas as formas entender como isso aconteceu, porque sinceramente a única coisa que Adam foi usa-la. E por último a morte de um anjo que foi totalmente estúpida, que eu nem sei como explicar como aquilo me revoltou.
Os efeitos especiais não são tão bons, e tudo é excessivamente escuro
O filme tentou seguir a moda de recriar/continuar histórias clássicas e dar uma pitada de terror e clima dark, mas esse filme foi uma falha, e digo mais é tão diferente e mal reconstruído que devemos nem mesmo lembrar que isso foi uma adaptação da história. O filme até dá pra ver mas não recomendaria a ninguém, tem erros que destroem até os personagens mais bem construídos, não tem força para ser do gênero de terror e etc. Pelo menos meu irmão gostou, então há quem goste.
Título: Frankenstein - Entre Anjos e Demônios | Gênero: Ação, terror | Ano: 2014 | Duração: 1h33m
Nota: 1/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário