segunda-feira, 23 de março de 2015

Primeiras Impressões: A Playlist de Hayden


Mais uma vez a Novo Conceito me enviou uma amostra de um dos seus futuros lançamentos (e desta vez no prazo certo) e eu já li e vou falar um pouquinho aqui do que achei.
Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente
Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava.
O livro está dentro de um estilo que eu realmente não entro com muitas expectativas, mas tenho muita coisa a comentar sobre. Vamos começar pela história;
A sinopse do livro é um tanto quanto mórbida, mas é algo que estou muito acostumado, principalmente quando se trata de contemporâneos. A grande questão aqui é como se encontra a realidade de um amigo quando o seu parceiro o deixa de maneira abrupta. Por trás de tudo isso, tem um grande mistério que não posso contar como se desenvolve. Não é algo muito interessante, mas você vai esperar pela sua revelação. O enredo é bem calmo e o que me preocupa é que, se depois de todas as páginas, vamos ter algum resultado. Como é uma amostra, eu realmente não sei se todo esse tempo vai realmente trazer resultado.
Os personagens são poucos, mas até que realmente interessantes para a história. Sam tinha uma amizade com Hayden que consigo me identificar. É um tipo de amizade tão parecida com a do meu melhor amigo que a identificação é quase total. Um protagonista nerd é algo um pouco diferente e eu gosto disso, ajuda a me identificar um pouquinho mais. Os coadjuvantes são realmente muito bem trabalhados, são descritos de uma forma que te convence e até parece que você realmente conhecia eles.
Como é uma playlist eu preciso falar das músicas. Bom, não duvido da qualidade delas e até conheço algumas, mas não são parte do meu cotidiano. Só que elas cumprem sua função, combinam com a história e se você ouvir alguma delas pode gostar (a minha favorita é a do capítulo 6).
A Playlist de Hayden não faz parte do meu gênero favorito, mas de certa forma me conectou a história. Não posso dar o mérito ao livro, mas a uma grande sorte. Tenho curiosidade para ver no que vai dar mas por enquanto não é nada que mude minhas concepções quanto ao gênero, então:

Título: A Playlist de Hayden | Autor: Michelle Falkoff  | Editora: Novo Conceito | Páginas: 86/288

Nenhum comentário:

Postar um comentário